quarta-feira, 25 de março de 2009

19 semanas

A caminho do 5º mês! Pois é parece que ainda foi ontem que soubemos e ele (desculpem lá, mas isto já é a têndencia de dizer que é um ele) já deve estar bem "grande"... no entanto não sei se é preguiça ou ainda não deve estar no tempo, ainda não sentimos nenhum pontapé, apenas umas "borboletas", ou alguma pressão em certos sitios da barriga!
Durmo bem algumas noites, mas tenho andado algo agitada durante a noite, enfim são dias...
A barriguita está cada dia maior, o meu peito também cresceu um pouco. Enfim tudo a andar...

segunda-feira, 23 de março de 2009

Recebi este selo...

Recebi este selo do blog http://aprenderte.blogs.sapo.pt/ !
Obrigado e espero que melhores rapidamente! Estou a torçer por ti...
Jokas a todos...
Sandra C.

sexta-feira, 20 de março de 2009

A Gravidez de um pai...

Ainda a propósito do dia de ontem...

"A gravidez de um pai não se dá nas entranhas, mas fora delas.
Ela se dá primeiro no coração, onde o sentimento de paternidade é gerado.

Um desejo de ser e de se ver prolongado em outra vida, que seja parte de si mesmo,mas com vida própria. Imagino que deve ser frustrante a princípio.
Durante toda a espera, um pai é um pai sem experimentar o gosto de ser,
sem os incovenientes de uma gravidez, mas também sem as lindas emoções que tanto mexem com a gente.

E quando ele sente pela primeira vez a vida que ajudou a gerar, tudo toma outra forma.
Ele sente um chute e se diz já que este será um grande jogador de futebol.
E muitas vezes se surpreende e se maravilha quando vê uma princesinha que sabe chutar tão bem. Mas tanto faz.
Está ali um sonho que se torna palpável.

E um parto de um pai se dá quando ele pega pela primeira vez sua criança nos braços, quando ele se vê em características naquele serzinho tão miudinho que nem se dá conta ainda que veio ao mundo e que se tornou o mundo de alguém.
E os sentimentos e emoções se atropelam dentro dele.
E ele sente que, à partir desse instante, a vida nunca mais será a mesma.
E ele precisa olhar dez, cem, mil vezes para acreditar que tudo não passa de um sonho.
E geralmente há um enorme sentimento de orgulho que toma posse dele.

Assim se forma um pai. ~
Pronto para ensinar tudo o que aprendeu da vida, um dia ele descobre que não sabe realmente muito, que na verdade aprende a cada instante.
Diante da sua criança ele se torna um adulto vulnerável e acessível.
E vai gerando, pouquinho a pouquinho, dentro de si mesmo, a arte de se tornar um pai. (...)"

Autora: Letícia Thompson

quinta-feira, 19 de março de 2009

Este vai ser o 1º dia do Pai!!

Tal como todos os outros dias comerciais (da mãe, dos namorados, etc...), este dia não tem mais valor por ser o dia do Pai...

Todos os dias são os nossos dias, no entanto este ano vai ser especial, pois apesar de ainda só "estarmos" grávidos, sentimos vida e essa mesma vida já faz parte do nosso presente e num futuro próximo estaremos cá para recebe-lo/a de braços e coração aberto!

Este vídeo que fiz é então para desejar um feliz dia para todos os pais, não esquecendo claro está os nossos Zés (Pai e Sogro)!!

Jokas a todos/as

Sandra C.

segunda-feira, 16 de março de 2009

Hoje tive o meu 1º enjoo para valer...

Pois foi... para além de ter passado a noite algo agitada, com direito a acordar com falta de sentido de orientação (não sabia onde estava), de ter sonhado imenso, hoje de manhã, após o pequeno-almoço, fui lavar a minha cabeça como habitual e assim que me baixei senti logo, que alguma coisa estava esquisita!
Quando me voltei a levantar.... já era! Foi muito estranho...
Andei o dia todo agoniada, sem fome, mas não voltei a vomitar! Espero bem que não se volte a repetir...
Mas se tiver de ser... paciência, não é??

Xarope de Laranja

Ainda há pouco encontrei esta receita no blog http://gostodevoceleozinho.blogspot.com/ , é um xarope para a tosse, para quem precisar...

Ingredientes:
- 4 laranjas
- 250gr açucar amarelo
- 2 cervejas pretas

Preparação:
Lavar muito bem as laranjas e corta-las em 4. Deitar as laranjas num tacho, juntar o açucar amarelo e as cervejas pretas. Levar ao lume até ferver, e de vez em quando vai-se mexendo e apertando as laranjas para que libertem o sumo. Deixar ferver até obter um xarope. Quanto mais espesso estiver, melhor será o efeito.
Separar as cascas da laranja, e deitar o liquido num frasco.
Tomar várias vezes ao dia.

domingo, 15 de março de 2009

18ª semana

Pois é, saltamos para a 18ª semana, mas não faz mal...
Na sexta-feira fomos ao Dr. João e pelos vistos está tudo a andar!
Ouvi o coração do "feijãozinho", a minha tensão estava boa, aumentei 1,400 Kgs (não 2 Kgs como a menina apontou na caderneta da grávida, sim porque eu mal me tinha posto em cima da balança, já estava o peso a ser escrito!!)
Deram-me um saco com ofertas para o bebé, com amostras de cremes, uma fralda e toalhitas (sim, que é para habituar...lolol)
O dr. para ver se acaba com a tosse, passou-me um antibiótico por 8 dias e o Centrum Materna!
A próxima eco vai ser em Abril...
Esta semana passou a correr... o fim-de-semana foi muito bom! Há muito que não tinhamos um fim-de-semana assim, sábado fomos até a Óbidos, à Feira do Chocolate (lógico que quem aproveitou mais foi o Carlos...), e hoje fomos até a Fátima e passamos o resto do dia com os meus pais em Tomar, fizemos uma caminhada, foi muito bom...

quinta-feira, 12 de março de 2009

Uma outra maneira de viver a gravidez...

Neste blog penso que nunca comentei a minha relação com o teatro, mas sou muito ligada ao palco, ao cheiro que ele têm.
Neste momento estou afastada do teatro por opção própria, porque a vida pessoal e profissional não é compativél, com o tempo que gostaria de continuar a dedicar ao teatro.
Uma das últimas coisas que fiz (que escrevi), foi uma peça que fala entre outras coisas, da gravidez na adolescência e também da toxicodependencia...
Este texto fala de uma rapariga, com cerca de 16/17 anos, filha de pais bem postos na vida, mas que falharam numa coisa essencial... dar amor a esta rapariga.
Para se afirmar, a vida complica-se, entra no mundo da toxicodepencia e num acto de loucura, misturado com esquizofrenia, mata o namorado de quem tinha engravidado, porque este a queria obrigar a prostituir-se.
Este diálogo que aqui deixo já é passado na prisão, quando espera o seu julgamento.
Aqui aparece também uma outra versão da maternidade, a da mãe (guarda) que perde um filho
Se quiserem comentar, estejam à vontade, mesmo que seja para dizer que não concordam, que está mal escrito, que não tem fundamentos ou lógica, opiniões aceitam-se...

"(...) Presa 1 – Estive a sonhar com o sol, com as nuvens, elas pareciam algodão doce.
Vi-te correr para mim, tinhas tantos caracóis... e eu afagava-te o cabelo.
Tu sorrias, depois fugiste e eu corri atrás de ti, mas já não te consegui apanhar. Fugiste e eu não fui capaz de ir atrás de ti. Mas não importa, foi só um sonho mau, tu estás aqui e eu vou proteger - te sempre. Quando sair daqui a nossa vida vai mudar. Não vou voltar a tocar em nada, vou arranjar um trabalho, vou voltar a ter uma vida.
E vamos ser muito felizes, filho. Vamos, não vamos? Tu vais ajudar a mãe a ser uma pessoa melhor.
Vamos construir tudo de novo, vou-te dar o amor e o carinho que nunca tive.

(Mudando de atitude, olhando para um dos lados do palco, como se estivesse a ver alguém, fala de forma a ganhar uma personalidade agressiva)

O que é que tás aqui a fazer? Vai-te embora, vai, desaparece da minha vida...

(Agarrando na cadeira ameaçando a personagem imaginária)

Vens roubar o meu filho outra vez? Não vou deixar, vou enfrentar-te cara a cara.

Matei-te uma vez, matar-te-ei quantas vezes forem precisas, mas o meu filho não mo vais tirar.
Lembras-te? Quando eu te disse que estava grávida, eu estava tão feliz. E tu?
Tu nem quiseste saber, mandaste-me para a má vida e quando te disse que não ia, bateste-me porco...
Um dia, tavas tão passado, que tiveste a lata de me dizer que eu tinha que abortar. O quê?

É que nem penses, respondi eu, se não queres este filho, eu quero, é a minha razão de viver.
Nessa noite quando estavas a dormir, nem deste conta, sufoquei-te até à morte e não me arrependo de nada, fazia-o de novo, quantas vezes...


(Ouvem-se do lado de fora do palco baterem na parede e gritarem)

Vozes – Cala-te ó xanfrada, o pessoal quer dormir...
Gaja, vê lá se te calas, se não vamos ai e cortamos-te o pio...

(Guarda entra e pergunta-lhe)

Guarda –
Então, hoje não se dorme?

Presa 1 – Ele está ali, veio cá para levar o meu filho. Tás a vê-lo? Ali, encostado à parede...

Guarda – Está descansada que ele vai-se já embora.

(Guarda dirige-se quase à boca de palco e faz de conta que está a falar com alguém)

Ó rapazinho, vá, põe-te na alheta. A andar daqui para fora. Vá lá...
Vês como ele é obediente, já foi...

Presa 1 – Ele ainda tá ali à porta a rir-se de mim.

Guarda – Não ouviste o que eu te disse? Lá para fora....
Agora nós, o que é que se passa hoje? Não consegues dormir?

(Presa 1 vai - se sentar na cama abraçada aos joelhos, balançando o corpo. Guarda fica de pé a ver)

Presa 1 – Eu quero dormir, mas a minha cabeça não me deixa... Tenho tudo misturado cá dentro. Sinto-me angustiada...

Guarda -
É normal, estás a viver um momento de grande pressão. Mas tens de te acalmar, isso não faz bem nenhum ao teu bebé. Ou queres que ele já venha para ai a berrar que nem um bezerro. Vá lá, tens que descansar...

(Guarda senta-se na cama, fazendo com que a Presa 1 se deite no seu colo)

Eu fico aqui até tu adormeceres...

Presa 1 – Tu tens filhos?

Guarda – Tive, uma filha... mas morreu. Devia ter agora seis anos, mas morreu... a minha filha morreu.

Presa 1 – Contas-me uma história?

(Guarda assentindo com a cabeça, faz-lhe festas no cabelo e conta-lhe a história)

Guarda – Era uma vez uma pequena sereia, tinha os olhos azuis, profundos como o mar, o seu cabelo era um emaranhado de algas que soltavam um perfume suave, único. Quando nasceu parecia um pequeno botão que aos poucos foi desabrochando. O mundo foi-se apresentando a ela, a vida foi-se renovando a cada dia que passava. As cores do arco-íris eram ainda mais intensas no fundo do mar. Até que chegou um dia em que o ciclo de vida se fechou, as cores já não eram vivas, mas sim sombrias, o sorriso da menina foi-se apagando, até que um dia desapareceu por completo. Um eco profundo invadiu o fundo do mar, deixando todos quantos lá viviam tristes com a partida da menina....

(Presa 1, acaba por adormecer, guarda continua a contar a história acaba por adormecer. Luzes baixam ficando o palco quase na escuridão. (...)"

terça-feira, 10 de março de 2009

Sabem aqueles dias.....

Hoje acordei sem voz e como a chamada verdadeira "moca". E porquê?
Porque ontem passei o dia quase todo a tossir, então acabei por ligar para o Dr. João Malta e ele indicou-me para comprar o Xizal, pois a tosse que eu tinha era seca (sem expectoração).
Se dúvida que hoje tossi menos e descarreguei mais, mas isso estava a deixar-me à beira de me passar para o outro lado, acreditem que estive para vir para casa, pois queria me concentrar e não conseguia (por causa do sono provocado pelos comprimidos), depois sabem quando te "zumbem" aos ouvidos e já não consegues ouvir as mesmas coisas?
- "Se como, é porque como!"
(Isto relacionado com eu não gostar doces e hoje me apetecer comer 2 rebuçados... "Então afinal não gosta de doces e estás a comer rebuçados?")

- "Se não venho à pausa, é porque não venho e tenho que pensar mais no bebé...!"
(Isto relacionado com o facto de não me ter apetecido vir à pausa na mesma altura, pois não tinha fome e tinha que fazer mais umas coisas para alcançar os objectivos do dia...

Eu não deixo o "Feijãzinho" passar fome, descansem e sim... sei quando são os meus limites!)

Não suporto quando se querem fazer passar por minha mãe, como o Carlos me disse, se calhar também estou um bocado susceptivél, mas há dias em que não há paciência... prontos!!!
Desculpem o desabafo.... amanhã será um dia melhor!
Vou dormir...

domingo, 8 de março de 2009

Este texto escrito por mim já foi editado em 2007, no Bluestrass, no entanto como gosto bastante dele, resolvi partilhá-lo convosco aqui este ano.

"No dia de hoje, há 152 anos atrás, 129 mulheres morriam carbonizadas nos E.U.A., porque se manifestavam na fábrica de vestuário onde trabalhavam, pelas condições de trabalho precárias e porque queriam que o seu horário deixasse de ser de 16 horas e passa-se a “apenas” a 10 horas de trabalho, cobardemente a polícia e os patrões mandaram incendiar a fábrica, com as mulheres lá dentro... 152 anos depois, comemora-se este dia por todo o mundo, assim como o dia dos namorados e outros dias que tais, com flores, para onde quer que se olhe, só se vê nas mãos das pessoas flores: rosas, margaridas, tulipas etc.
O que é pena é que estes gestos, sejam feitos uma vez por ano (em muitos casos), o resto do calendário não conta, as flores não existem...
Por cada flor que se oferece nestes dias, deveríamos lembrar cada mulher que sofre, por maus-tratos, por abusos físicos, psicológicos, por cada mulher que passa fome nos países mais carenciados e em guerra, por cada mulher que perde a sua condição de mãe e esposa nestes mesmos países, ao ver morrer muitas vezes em lutas inglórias os seus filhos que não passam de crianças e os seus maridos.
As mulheres que pela tradição e bons costumes são “violadas” na sua privacidade. Mas também lembrarmos de nós, e de como de vez em quando somos egoístas, quando nos queixamos todos os dias de algo, ou porque estamos gordas, ou porque estamos magras, ou porque temos um trabalho que não nos agrada muito, ou...não interessa.
Neste dia da mulher ergamos as mãos para o céu, para agradecer a vida, o trabalho que temos, podermos ser (mais ou menos) quem quisermos sem “represálias”, o acesso a informação que nos torna mais “humanos”, a saúde, a família por mais barulhenta que seja, e redimirmo-nos, pois quantas mulheres não dariam tudo, para ter a flor desta vida, que nós todos os dias reclamamos? "

sábado, 7 de março de 2009

A Primeira...

... roupinha do "Feijãzinho", hoje estive na Fábio Lucci e não resisiti a comprar este body!
A etiqueta diz que é para 6 meses, mas achei-o pequenino (mais parece para 3).

Se calhar devia ter comprado para recém-nascido ou pelo meno para 1 mês, mas não gostei de nada do que vi, tudo amarelo, laranja e verde!!!

Comprei mesmo pela graça...

sexta-feira, 6 de março de 2009

A moda e as nossas barriguitas....

Já abordei este tema aqui antes, pela altura da busca por umas calças de ganga.
Sem dúvida que vou ter de encontrar outras, porque as únicas calças de ganga normais que tinha, já não aperto o botão e um dia destes ainda fico com as calças na mão!! ;) e não sei quanto tempo mais vou conseguir andar de calças de bombazine...
Eu não quero que o calor venha em força, só não queria era andar tão "enroupada"!
Agora surgiu-me outra questão que é, ter 3 casamentos este ano, no entanto parece-me que vou ao 1º (que é em Maio), quanto ao 2º tenho algumas dúvidas e o 3º já dentro do mês de Agosto é mesmo para esqueçer...
Eis que surge algumas questões que são:
1º- Nunca fui muito dada a modas...
2º- Detesto andar a experimentar roupa...
3º- Preciso de encontrar alguma coisa bonita, confortavél e que seja adequado para um casamento...
Um dia desta semana, andei a tentar enfiar-me num vestido castanho muito giro, o resultado foi só rir!!
Agora eu queria algo desta cor, após algumas pesquisas na Net encontrei algumas imagens que deixo aqui o que dizem??

A maioria das coisas que se vêem é tudo muito prático, não sou muito dada a vestidos (sou muito junta de pernas e quando o calor começa a apertar é o cabo dos trabalhos), sinceramente estava mais a pensar numa túnica, um pouco mais comprida e depois arranjar umas calças bonitas, dentro dos tons de castanho e dourado...
Pensei ainda "abusar" da paciência de uma pessoa que conheço para lhe pedir para me fazer a túnica, ia comprar o tecido e assim sempre ficava mais à minha medida...
Também estou a pensar cortar o cabelo, um pouco quando for o quarto crescente, estou também a pensar pintá-lo, mais próximo do mês de Maio. Mas tenho ouvido algumas opiniões em contrário... será que faz mal??

quinta-feira, 5 de março de 2009

16ª semana!

Já passou um dia da 16ª semana, o tempo corre!
No ínicio desta semana, já não aguentei mais... como passo muito tempo sentada, sai directamente do trabalho e fui comprar uma cinta para grávida e também um soutien.
Fui à Modalfa, e não desgostei do que lá vi... A cinta que comprei foi de algodão, já com o acrescento da barriga em branco, o soutien é de microfibra, bastante idêntico aos que uso, só que este é duplo (reforçado) e tem as alças mais largas, posso-vos dizer que sinto-me agora muito mais confortável... Acreditem que chegava ao fim do dia, com uma dor no fundo das costas e uma pressão imensa no fundo da barriga! Agora sinto-me consideravelmente melhor...
Encontrei este site http://www.sweetcare.pt/product.aspx?Ref=MM0025CT , aqui podem ver soutiens já de aleitamento e também as cintas. Estes produtos estão à venda nas farmácias, mas também podem encomendar pela net.
Também estou de novo com uma daquelas dores de garganta :( , já estou a tomar Benuron e chá para a garganta (a noite passada eram 4 da manhã e eu a tomar chá, pão e Benuron)
Acho que febre não tenho... mas não me sinto mal, apenas tenho a garganta a arranhar!
É verdade... a barriga cresceu muito nesta última semana, todos no trabalho quer ver a barriga, achamos (cá em casa) que o feijãzinho deve estar bem grande!
O pai babado farta-se de dar muitos beijinhos na barriga!
A roupa começa a não servir e o tempo também não ajuda... estou farta deste frio e da chuva!

Vou fazer uma manifestação contra o mau tempo!!
Deixo-vos um vídeo que encontrei no youtube, achei muito bonito...




segunda-feira, 2 de março de 2009

Serão mitos ou realidades? Parte II

Pois é, este tema parece ter lançado a polémica...
Algumas mães ou futuras mães já aqui vieram comentar, sobre o que pensam, se acreditam ou não.
Eu no dia que fiz este post, já estava com algum (muito...) sono, então apenas coloquei aqui os mitos, não falei se acreditava neles ou não...
Eu respeito muito o que os antigos dizem, mas não quer dizer que acredite em tudo, pois acho que o lado prático da vida leva a que as coisas sejam simplificadas...
Também é uma verdade que durante a gravidez, já temos tantas coisas com que nos temos de preocupar, que ainda pensar nestas coisas, seria chegar a um cúmulo de dar em doidos!!
Sim, porque por mais que nós andemos com as hormonas aos saltos, acho que não deve de existir grávida nenhuma, com as pancadas que a personagem da novela "Feitiço de amor" têm, não é??
Lolol, se calhar até anda para ai alguém que é assim... será??
Enfim... chegando então à conclusão, eu respeito aos mitos, mas sinceramente acho que não vou ter tempo e muito menos paciência para cumprir nada destas coisas...
Jokas a todas e obrigado pelos comentários!