quinta-feira, 30 de junho de 2011

Quase, quase a fazer dois anos!!

Olá! É verdade, o tempo passa a correr e o nosso "feijãozinho" está quase a fazer dois anos!
O tempo voa a um ritmo verdadeiramente alucinante!!
O que há a dizer... muito e pouco! Ele está lindo, está esperto, malandro, amoroso, chatinho com as birras e "ámoques" que lhe dá de vez em quando, mas tudo vale a pena!
É uma alegria tão grande quando no fim de um dia de trabalho vou à escolinha para o ir buscar e ele vem a correr e salta para o meu colo! É lindo... é lindo saber que os amiguinhos gostam dele (tirando de vez em quando alguma patifaria que ele faz, própria destas idades...) e que ele é bastante social. Continuamos a ter de lhe dar espaço e tempo quando chegamos a um sitio ou conhecemos alguem novo, pois ai ele vira uma lapa, agarrado ao nosso pescoço!
Mas tirando isso, tudo ao mais alto nível!
Jokinhas a todos!
Sandra C.

domingo, 26 de junho de 2011

O 1º dia de praia foi fantástico...








Click to play this Smilebox collage
Create your own collage - Powered by Smilebox
Another free picture collage by Smilebox



Tal como prometi, aqui estou eu para contar...


No sábado acordamos cedinho, pois avizinhava-se um dia de muito calor... fomos ter com os tios à praia de Sto Amaro de Oeiras.


Pelo caminho assim que comecei a ver a água dizia "Ábuaaaaa", mas quando cheguei mesmo à praia, aquilo foi uma mistura de medo, com vergonha, não queria ir para o chão, não queria ficar na areia e agarrava-me ao colo do papá e da mamã que nem uma lapa. Nem para o colo da "Tita" eu queria ir... depois também não estava a entender porque é que estavam todos com umas roupas estranhas...


Só me passou mais a vergonha quando fomos á agua, a mamã bem me pôs no chão, mas quando sentia a água fria nos pés, quase que chorava.


Aos poucos lá me fui habituando e passado um bocado quase que já queria ir de mergulho.


Os papás lavaram-e o nariz com a água salgada e depois a mamã entrou na água e pufff desapareceu (mergulhou, bem entendido!), foi muito giro, quando dei por mim já estava todo molhado... viemos para a areia, mas eu mais parecia um croquete!


Depois ainda fui dar mais uma volta e já sem medo da água atrevia-me a por o pé, ás vezes vinham assim umas onditas maiores e lá fiquei com a t-shirt toda molhada...


Quando foi para vir embora, já a areia estava muito quente, mas não me apetecia vir.


Pelo caminho, adormeci, quando cheguei a casa almocei e depois já não quis dormir mais, acabei por cair que nem um pardalito eram já 20h30... Foi um dia cansativo, mas muito bom!!


Jokinhas a todos


Vicente

sábado, 25 de junho de 2011

Diário do Vicente - O Feriado de quinta-feira!








Click to play this Smilebox slideshow
Create your own slideshow - Powered by Smilebox
Personalize a picture slideshow

Na quinta-feira fui com os papás passear na Expo, adorei! Andei a pé, mas também fui experimentar o meu novo carro de passeio (o meu primeiro carro, está guardado para dar à Tita e ao Tio, para quando o primo nascer daqui a uns meses).
Fiquei fascinado com o teleférico, apontava, pulava, gritava, não entendia muito bem o que aquilo era, mas achei o máximo… e está prometido da próxima vez vamos andar!
Adorei andar lá pelo meio dos jardins (que estão um bocadinho estragados), adorei ver os peixes e os cagados na água. Adorei apanhar pedrinhas e adorei mexer num cão que me deixou fazer muitas festinhas e tinha o nariz molhado.
Quase no fim do passeio, estivemos no jardim da música, aquilo é o máximo. Não dá para levar lá para casa?? Adorei a Caixa de Música, o Dendrófono, a Coluna Musical, o Litófono, os Triângulos, o Gongo, os Metais e a Pedra Pequena de Zunido. Foi uma festa…
Depois os papás foram comprar um gelado, a mãe ainda me tentou dar um bocadinho do dela, mas eu não quis (daqui a uns anos muitas lágrimas vou eu deitar porque vou querer comê-los,lolol!)
Foi uma tarde em grande...

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Diário do Vicente – O Admirável Mundo Novo (Parte II)

No sábado quando acordei de manhã, estava todo sarimpado pelos "trompeteiros" (ou para quem não sabe, melgas mesmo!)
O papá deu-me logo o remédio e pôs-me Fenistil nas muitas borbulhas que eu tinha (eram 12)...
Nessa manhã, fomos à Penha, eu com o sono que o remédio fazia, andei sempre muito molinho e quase sempre ao colo, ora dos papás, ora dos tios. Vi muitas "ávoes" (árvores), tirei muitas fotos e até tive direito a um espalho, mas sem grandes consequências...
Quando cheguei a casa, comi (já de colher e garfo, sujo tudo, mas não faz mal...) e depois fui fazer o meu soninho de beleza.
Fomos passear todos a Fafe, os papás compraram-me umas sandálias, mas eu não achei muita piada a elas, não estou habituado a ver os meus pés, o que é que querem??
Ao fim da tarde, fomos a casa da tia Fernanda e do tio Carlos, comer bolo (massa de pão, cozida a lenha, com carne, fiambre e queijo), eu para além da minha sopinha, comi também do bolo e gostei muito. Ainda comi umas colheres de caldo verde e gostei ainda mais!
Para além de comer, brinquei com o Snoopy (o baubau da tia), aprendi a brincar na relvinha, nunca me tinha visto com tanta liberdade!
Nessa noite, quando voltamos a casa, os bichos não me morderam, o papá inventou um "mosquiteiro" à minha altura... os cortinados lá do quarto!! Nem um me tocou...
No domingo de manhã, fomos à missa, o meu sono (por causa do remédio), era de tal ordem, que dormi o tempo inteiro... quando chegamos a casa, almocei, os papás ainda me tentaram deitar, mas eu não quis dormir.
Os tios tinham ido buscar o Sérgio (o irmão da Tita) ao Porto e depois fomos ter com eles a Guimarães, fomos ao Castelo, aquilo é giro lá nas alturas, mas o papá não achava piadinha nenhuma…
Demos mais uma volta por Guimarães e depois viemos para casa, no caminho e apesar da fomeca, o meu cansaço era tal que adormeci, chegamos a casa e eu nem dei por nada, ainda dormi um bom bocado, depois os papás acordaram-me, jantamos e fomos a casa dos Tios Manel e Lucília.
Não sei se era do avançado da noite, mas enquanto esperava com a mamã que o papá trouxesse o carro, comecei numa de “Baubaubaubau….” E depois desatava a rir ás gargalhadas, tantas que até soluçava!
Quando chegamos aos tios, estranhei um pouco a casa, mas depressa me habituei. A tia tinha posto umas coisas na mesa para paparmos e eu provei uns palitos salgados e fiquei fã daquilo e também das mini bolachas Maria (mas os papás não me deixaram abusar…)
Outra coisa que neste fim-de-semana descobri é que gosto de Ice Tea e de sumo (tipo água com Sunquick).
Na segunda-feira, dormimos todos até tarde lá por casa, até a mamã que normalmente acorda cedinho, dormiu até ás 10h30…
Ainda fomos a Fafe, o papá e a mamã foram fazer umas compras, quando eles saiam do alcance dos meus olhos, começava logo eu “Papááááá…. Mamããããã…”, sou um tontinho!!
Depois do almoço fizemo-nos ao caminho, pois ainda fomos a Santo Tirso, ver a Tia Rosa e a Tia Bina e quando lá cheguei fiquei todo entusiasmado como o “Baubau” grande que a tia lá tinha.
Adorei o sítio e se me dessem liberdade, corria aquilo tudo, adorei o gato que por lá andava, queria me sentar ao pé dele para o ver a comer…
E as galinhas, um espectáculo, comecei logo a fazer na mão “a pitinha”.
Depois lá tivemos que nos fazer ao caminho, correu tudo muito bem, lá mais para o fim o desespero já era de tal ordem que o “amoque” da outra noite voltou outra vez a dar e desatei a rir como um tolinho.
Mas chegamos a Lisboa e ainda fomos jantar aos avós e correu tudo muito bem.
Agora já voltei à escolinha e a ver os meus amigos, porque já tinha muitas saudades deles!!
Até um dia destes… beijinhos ás meninas e abraços aos rapazes!
Vicente


P.S- As fotos vem depois...

terça-feira, 14 de junho de 2011

Diário do Vicente – O Admirável Mundo Novo (Parte I)

Olá a todos os amiguinhos!
Já não aparecia por cá já vai algum tempo, mas hoje tenho que vos contar as novidades…
Estive estes últimos dias na terra do papá e aquilo foi…. uma loucura!!
Assim que lá cheguei dei logo conta que não conhecia o sítio (já lá tinha estado antes, mas como ainda sou pequenino ainda não lembro muito bem.), depois comecei a ouvir os cães, as galinhas e os patos, depois ainda vi os gatos… ena tanta coisa para eu mexer e explorar!
Ainda a mãe não me tinha tirado da cadeirinha (mas já me tinha soltado o cinto) eu saltei automaticamente para o banco, pois queria ver os patos (Puápuápuá!).
Depois a mãe tirou-me do carro e eu vi os cães, queria lá ir mexer neles (baubabau!)
Quando vi o gato e a mamã me disse para eu fazer uma festa nele (ele até se deitou no chão de barriga para o ar) e cheguei ao pé dele, mas como sou muito desajeitado, pisei-lhe a pontinha do rabo e ele fugiu, fiquei muito ofendido (lolol!)
Quando subi lá a cima a casa, só queria subir e descer as escadas (os papás iam dando em doídos), depois a mãe andava a limpar o chão e eu queria ajudá-la, agarrava na vassoura e na pá, mas sujava mais do que limpava.
Conheci a Lara e brinquei com ela, ela emprestou-me dois carrinhos e uma guitarra (mas já não dava música..), brinquei muito com a bola que o tio Sérgio trouxe (a Lara é muito mais velha que eu, mas gostei muito de brincar com ela).
Quando mais à tarde a Tita, o tio Sérgio, a Susana e o João chegaram, fiquei com muita vergonha, mas depressa, fiquei amiga deles, aliás gostava muito quando a Susana de ajudava a comer.
Na primeira noite, assim que cai na cama... foi um tirinho!

quarta-feira, 1 de junho de 2011

O dia de todos nós…



Hoje é dia Mundial da Criança, é o dia de todos nós pois todos nós de uma maneira ou de outra já fomos crianças (enquanto fomos pequenos) e alguns de nós ainda o são (que ainda tem a capacidade de brincar e deixar o seu pensamento voar, pelas asas dos sonhos).
Infelizmente muitos de nós vão perdendo essas capacidades com os tempos, vão esquecendo como é bom poder andar livremente num campo cheio de flores, de como brincar no chão é bom, de como pisar uma poça de água e sujar a roupa é bom, de como sonhar com fadas e seres de outros planetas um dia já fez parte da nossa vida.
Nos dias que correm quem é pai ou mãe, tem uma tendência de querer o melhor para os seus filhos , não que os nossos pais não quisessem também, mas as prioridades eram diferentes.
Em todas as épocas os pais tiveram a tendência de querer fazer dos seus filhos um espelho de si, muitas vezes obrigando as crianças a fazer o que um dia quiseram eles próprios ser ou fazer, esquecendo de ouvir estes pequenos seres, que parecendo que não, já tem uma opinião a dar.

O nosso papel de pai, mãe e educadores é encaminhá-los, não obrigá-los, é elucidá-los e mostrar-lhes novos caminhos, não enclausurá-los nos caminhos que achamos ser o melhor para eles.
No dia de hoje, sente-se com o seu filho/a brincar, deite-se no chão e rebole com eles pela relva ou pela areia da praia, brinque de macaquinho do chinês, faça cair essa máscara de adulto e seja criança de novo!